O que impactou a experiência de Onboarding em 2020?

Bruna Pedra
Mar 16, 2021

O que impacta a experiência dos colaboradores no trabalho? 


Essa foi nossa inquietação para criar o maior relatório sobre a Experiência do Colaborador do Brasil e América Latina, lançado quarta-feira (10). Tudo começou no nosso contato diário com o RH de algumas das maiores empresas do Brasil e o desejo profundo em saber o que de fato importa para entregar uma experiência incrível. 


Como disse o nosso CEO, Frederico Lacerda, "Apesar de simples, essa pergunta é muito difícil de se responder já que, diferentemente do engajamento, a experiência não pode ser medida e gerida pontualmente, perguntando as mesmas coisas para todo mundo "de vez em quando". Afinal, a experiência acontece todos os dias e é impactada por elementos como o ciclo de vida e as necessidades e expectativas específicas dos diferentes grupos de colaboradores que as organizações possuem hoje."


Para responder à pergunta inicial, fizemos um recorte dos dados coletados em 2020. Como resultado, acumulamos: 

  • Mais de 76 mil colaboradores escutados; 
  • Mais de 1,5 milhão de questões respondidas; 
  • Mais de 170 mil comentários analisados. 


Avaliamos todo o ciclo de vida do colaborador, do Onboarding à saída para entender os principais aspectos que influenciam a sua experiência.


Nesse artigo, traremos os principais insights sobre o processo de Onboarding, confira! 


Sobre Onboarding


Sabe aquela expressão popular "A primeira impressão é a que fica"? Pois é, aqui na Pin People também acreditamos que a primeira impressão importa. Apesar do primeiro dia ser extremamente importante, não podemos limitar a gestão da experiência a esse momento. Também acreditamos que o Onboarding é importante "para trás e para frente", ou seja, é o fechamento do processo de recrutamento e seleção e o início da jornada do colaborador na empresa, que pode mudar drasticamente de acordo com o nível de acolhimento e aculturamento oferecido aos novos colaboradores. 


Segundo a nossa metodologia, existem três macro objetivos a serem atingidos nesse período: atender às necessidades básicas, oferecer clareza de papel/responsabilidades e permitir que o colaborador cause impacto com o seu trabalho na sua área ou na organização. Ao alcançarmos esses objetivos, consideramos que o colaborador está no estado de “full membership”, podendo ser traduzido para “adesão plena”. Nesse momento, é possível obter uma integração completa no ambiente de trabalho, com alta produtividade e vontade de permanecer na empresa. 


eNPS do Onboarding


Para medir a experiência dos colaboradores no processo do Onboarding, utilizamos a metodologia do eNPS (Employee Net Promoter Score), aplicado de maneira recorrente entre a primeira semana e o sexto mês de empresa. Segundo os nossos dados, em 2020, a média do eNPS do Onboarding foi de +77,6, em uma escala de -100 a +100. De acordo com a metodologia padrão, este valor está na Zona de Excelência. Logo, podemos afirmar que a experiência do Onboarding em 2020 foi muito positiva, apesar dos desafios trazidos pela pandemia. 


Ao olhar a evolução do eNPS durante a pandemia, segundo o gráfico abaixo, podemos chegar a alguns insights: 

  • Houve uma ligeira queda nas notas do eNPS no início do isolamento social e, como consequência, trabalho remoto (oscilação percebida de fevereiro para março) 
  • Em seguida, as notas voltam a subir e alcançam seu pico no mês de Julho, com pontuação de +84
  • Já em outubro, mês que diversas empresas começaram a implementar um processo híbrido, esta pontuação cai novamente para +74 


eNPS no Onboarding por Tempo de Casa


A partir da análise dos nossos dados, pudemos entender quais foram os pontos fracos e fortes do Onboarding no ano passado. Confira os highlights

  • Os aspectos mais positivos foram: Acolhimento da Equipe, Identificação com Valores e Cultura, Entendimento de Papel e Responsabilidades
  • Já dentre os aspectos menos positivos, estão: Clareza sobre Possibilidades de Carreira e Satisfação com Feedback


Recortes da experiência de Onboarding


Além dos tópicos analisados, também fizemos recortes da experiência dos novos colaboradores diante de outras perspectivas. 


Sexo

Para começar, já percebemos que os colaboradores do sexo masculino apresentaram favorabilidade maior em 73% variáveis analisadas. Porém, a diferença entre essas favorabilidades foi pequena, ou seja, a experiência foi semelhante entre homens e mulheres. Apesar disso, o aspecto que possuiu discrepância mais relevante aos dois grupos foi o "Satisfação com Feedback", apresentando 81% de favorabilidade para o sexo masculino e 76% para o feminino. 


Geração

De imediato, a análise de dados segundo essa ótica já nos traz um ponto de atenção: apenas 1% dos respondentes das pesquisas de Onboarding aplicadas pela Pin People são da geração Baby Boomers. Assim, esse fato abre espaço para uma investigação de mercado para entender se em 2020 houver uma preferência das empresas à contratação de candidatos mais jovens ou um menor número de indivíduos dessa geração à procura de emprego. 


Tempo de Casa

Podemos dizer que o principal destaque sob essa visão é a diminuição progressiva do eNPS à medida que o tempo passa. Com 7 dias, a pontuação é de +84; com 30 dias, de +79; com 3 meses, de +75 e com 6 meses, de +69. 


Por isso, salientamos a importância de um acompanhamento contínuo da experiência dos colaboradores, evitando o investimento apenas na primeira semana de trabalho e trabalhando ações e iniciativas que promovam uma experiência positiva ao longo dos primeiros meses de empresa. 


Quais foram as principais conclusões do relatório sobre Onboarding em 2020? 


Assim, chegamos a algumas conclusões sobre a experiência de Onboarding em 2020, sendo elas: 

  1. Ter clareza sobre as possibilidades de carreira na empresa é uma dor para a maioria dos novos colaboradores;
  2. A liderança possui papel fundamental na construção de boas experiências de Onboarding. Feedbacks e interações com o líder direto influenciam positivamente a experiência, principalmente dos colaboradores mais jovens;
  3. A experiência como um todo, medida pelo eNPS do Onboarding, diminui de forma significativa ao longo dos primeiros 6 meses de empresa.


Além disso, fizemos duas descobertas através das análises incluídas no relatório: 

  1. Acesso a Recursos é uma dor do Onboarding que ficou mais latente com a migração para modelo de trabalho remoto, principalmente entre as gerações mais velhas;
  2. A falta de clareza e baixa confiança sobre as responsabilidades e tarefas foi outro aspecto importante que impactou negativamente a experiência de Onboarding nas empresas em 2020. 


Quer ficar por dentro de tudo que descobrimos sobre a experiência dos colaboradores em 2020? Acesse nosso relatório na íntegra e fique por dentro das maiores tendências do RH! 


Leia também: