Jornada do Talento: como criar boas experiências desde o começo

Empresas que oferecem uma boa experiência para o talento são diferenciadas no mercado. Quando pensamos em empresas desejadas ao redor do mundo, vemos que a experiência “wow” é algo comum entre elas.

Neste artigo, vamos falar sobre como trabalhar o funil da jornada do talento para garantir uma boa experiência para todos os profissionais. Se você não se recorda muito bem o conceito de jornada do talento, é só acessar o nosso artigo: “O que é Jornada do Talento?”.

Jornada do Talento: Da descoberta ao desejo

Sabe aquela famosa frase “a primeira impressão é a que fica?”, pois é, então que tal dar uma bela primeira impressão para o talento? 

Esteja presente nas redes sociais, dê suporte antes mesmo dele se tornar um candidato, mostre mais da sua cultura, esteja sempre de olho em sites como GlassDoor. Por meio dessas ações você fortalece o seu Employer Branding ao mesmo tempo que está criando um desejo naquele talento em fazer parte da companhia.

Com a sua marca empregadora sendo trabalhada da melhor forma, as expectativas dos talentos em relação ao seu processo seletivo será grande. A Candidate Experience precisa ser levada em conta desde o início do projeto do seu processo, sendo uma parte fundamental do recrutamento.

Jornada do Talento: Da seleção à contratação

Um candidato, seja ele aprovado ou não, que leva uma boa experiência de um processo da sua empresa, se torna um promotor da sua marca empregadora, e também um potencial consumidor da sua marca final. Ou seja, ele promove não só o seu employer branding, mas também se torna promotor do seu consumer brand.

Quando pensamos em inscrições e testes online, a tecnologia é nossa maior aliada, á exemplo da Matchbox que além de usarem games para fazer testes de competências e de fit cultural virarem experiências lúdicas e agradáveis, contam com o Appraisal e com o ChatBot, sistemas baseados em inteligência artificial, que são capazes de eliminar o uso de papel e diminuir o número de desistências de candidatos, nas etapas iniciais.

Um ponto muito importante, é não deixar de engajar os seus candidatos durante todas as etapas. A Matchbox, descobriu que o podcast é uma ótima forma de engajar candidatos inscritos em um processo seletivo lhes dando informações relevantes. É uma forma inovadora de comunicar frequentemente com os talentos durante o tempo de espera de cada etapa.

Você pode criar a sua estratégia de engajamento para estes podcasts, mas uma boa opção é abordar a cultura da empresa, o dia-a-dia, depoimentos de colaboradores, tudo para que o candidato vá se inteirando sobre a companhia.

E quando falamos sobre a notícia de aprovação e reprovação, você já pensou em fazer algo diferente, que emocione, surpreenda e encante os candidatos?

A etapa final é aquela que marca a trajetória profissional desses talentos, e por que não inovar neste momento? Existem diversos cases no mercado onde essas notícias são dadas por meio de vídeos com seus familiares, chamadas ao vivo, e até de forma presencial por realidade virtual.

Dê atenção ao seu Employee Experience

De nada adianta oferecer uma experiência inesquecível para os seus candidatos, e deixar tudo isso de lado quando ele se torna um colaborador. Muito pelo contrário, a cultura tem que vir de dentro para fora. 

Antes as empresas costumavam pensar nos processos dos funcionários de forma separada, como atração, Onboarding, desenvolvimento, entre outros. Agora as empresas precisam tratar tudo como uma jornada, fazendo com que a experiência do colaborador seja uma coisa só, desde o processo seletivo até a saída.

E é aí que entra o Employee Experience, um método que propõe a melhora do clima organizacional da empresa por meio de iniciativas inovadoras que promovem vivências significativas para cada colaborador, motivando e desenvolvendo o seu trabalho cada vez mais. 

Oferecer experiências diversas para os seus funcionários vai além de motivá-los a serem mais produtivos e trazer bons resultados. Na verdade, alcança o lugar de melhorar o dia, a semana e até a forma de pensar que aquela pessoa tem, interferindo nas demais faces da sua vida, além da corporativa.

*Artigo escrito pela Matchbox, empresa de HR Tech e Consultora em Recursos Humanos, além de ser uma empresa parceira da Pin People.

Leia também:

Comments are closed.
Mobile Analytics