Pesquisa de Desligamento: por que é importante e como implementá-la na sua empresa

Em algum momento a jornada do colaborador na empresa chega ao fim. Acompanhar e analisar o encerramento do ciclo na empresa é fundamental para identificar pontos de atenção na experiência de trabalho e agir sob possíveis causas de turnover. No entanto, em muitos casos, conduzir pesquisas de desligamento é considerado o “patinho feio” do RH. Geralmente, essa função fica abandonada ou recebe pouco investimento. Mas essa realidade precisa mudar para o bem dos seus colaboradores e do seu negócio.

Neste artigo vamos mostrar a importância de um bom processo de desligamento, reforçando alguns benefícios que podem ajudar a chamar a atenção dos líderes da empresa para o tema. Além disso, queremos te mostrar como uma pesquisa de desligamento bem feita pode ser um recurso simples e poderoso para melhorar a experiência dos colaboradores e reduzir o turnover na organização.

Por que é importante fazer pesquisas de desligamento?

A pesquisa de desligamento faz parte da experiência de encerramento na empresa e deve ser realizada de maneira coordenada com outras atividades como: aviso prévio (se aplicável), rescisão contratual, bloqueio dos acessos aos sistemas corporativos e atualização da folha de pagamento. Todos esses procedimentos devem ser bem executados a fim de promover um final de experiência positiva para o colaborador. A esse final de ciclo na empresa damos o nome de Offboarding e este momento é fundamental para o colaborador e para a organização.

O Offfboarding é o último momento em que a empresa pode agir na experiência do colaborador, podendo melhorar as impressões e sentimentos em relação à empresa ou reforçar aspectos negativos da experiência. Além disso, os colaboradores desligados podem ser ótimas fontes de feedback, dando informações valiosas para o RH em relação à experiência de trabalho. Na Pin People, ajudamos empresas a conduzir uma pesquisa de desligamento de forma simples e estruturada, contribuindo para um bom processo de Offboarding.

A seguir, separamos alguns motivos pelos os quais você deve começar a realizar pesquisas de desligamento na sua empresa:

Colaboradores desligados são formadores de opinião

Uma pesquisa realizada em 2016 pelo Glassdoor revela que 70% dos talentos disponíveis no mercado procuram por indicações na hora de se aplicarem para uma vaga. Colaboradores recentemente desligados se tornam referência para candidatos que buscam obter mais informações sobre a empresa e a experiência de trabalho. Muitas vezes essas opiniões são expostas nas próprias redes sociais ou em sites como o Glassdoor. Conduzir uma pesquisa de desligamento de forma aberta e respeitosa contribui na formação de boas impressões sobre a empresa, transformando o ex-colaborador em uma boa fonte de indicação.

Colaboradores desligados são ótimas fontes de feedbacks

Através da entrevista de desligamento é possível coletar informações honestas em relação à experiência de trabalho, já que o colaborador se sentirá mais à vontade para falar sem medo de represálias ou identificação. Com esses feedbacks é possível entender quais aspectos da experiência de trabalho podem ser melhorados e agir sob possíveis causas de turnover que não haviam sido identificadas anteriormente.

Colaboradores desligados podem retornar para a organização

Uma pesquisa realizada pela Workplace Trend revela que 40% dos colaboradores consideram retornar para a empresa. Este são conhecidos como “colaboradores boomerang” e na crescente guerra de talentos se tornam uma estratégia cada vez mais usada pelos RHs. Garantir um bom processo de desligamento aumenta as chances de possuir mais “colaboradores boomerangs”, facilitando o recrutamento de talentos no futuro.

Como conduzir uma boa pesquisa de desligamento?

Todos esses benefícios da pesquisa de desligamento só acontecem quando bem feita. Não basta apenas perguntar sobre a experiência na empresa. É importante entender quais tópicos são mais relevantes, como será comunicada a pesquisa e, mais importante, analisar os dados coletados. Nessa perspectiva, fazer pesquisas em papel, além de ser trabalhoso, dificulta a análise dos dados. Por isso, nossa sugestão é digitalizar a sua entrevista de desligamento, gerando mais agilidade e segurança na captura de feedbacks.

O primeiro passo para construir uma boa pesquisa de desligamento é entender quais tópicos são relevantes perguntar ao colaborador. Geralmente as empresas focam muito em coletar feedbacks sobre salário e benefícios. No entanto, esses aspectos não abrangem a totalidade da experiência de trabalho na empresa e, muitas vezes, o desligamento acontece por razões mais do cotidiano como falta de reconhecimento, por exemplo. Portanto, recomendamos fazer um mapeamento de aspectos gerais da experiência de trabalho que são importantes para a satisfação do colaborador, tais como: desafios do cargo, satisfação com o gestor, relacionamento com a equipe, remuneração, benefícios, acesso à informação etc. A Pin People ajuda as empresas a entenderem seu processo atual de offboarding, a definirem quais assuntos avaliar na pesquisa e como fazer questionários que evitem respostas dúbias e vieses, garantindo a qualidade dos dados coletados.

Após a construção da pesquisa, é preciso comunicá-la e enviá-la aos colaboradores desligados. A comunicação adequada e respeitosa é muito importante, pois é um momento sensível e, independente da natureza do desligamento, o colaborador precisa se sentir respeitado e valorizado. Geralmente recomendamos fazer a comunicação da pesquisa junto com o link de acesso ao questionário, pois isso facilita e agiliza o processo para o RH e para o colaborador. Oferecemos aos nossos clientes a possibilidade de enviar as pesquisas via e-mail ou SMS. Além disso, visando mais praticidade e coordenação das ações, oferecemos também a possibilidade de integração com algumas folhas de pagamento, o que torna o processo mais automatizado.

Feito o envio da pesquisa e coletado as percepções dos colaboradores, é o momento de analisar as informações e identificar possíveis dores e insatisfações que possam ser causas de turnover. Para entender como os itens avaliados na pesquisa impactam na experiência, recomendamos cruzar as informações com a métrica do eNPS, que, para nós, é a “métrica de ouro” do Employee Experience. Nesse cruzamento, pode-se perceber que, por exemplo, a satisfação com o gestor possui uma favorabilidade baixa, mas um impacto alto no eNPS. Em outras palavras, o relacionamento com o gestor possui grande peso na satisfação com a experiência do colaborador, só que no caso, está “puxando” essa satisfação para baixo. 

Ao investigar esse insight mais a fundo, nota-se que todos os colaboradores da equipe desse gestor que foram desligados recentemente reclamaram da má avaliação de desempenho e do fraco reconhecimento que recebiam. A partir desses insights, é possível promover planos de ação e iniciativas voltadas para a liderança, capacitando os líderes na execução de avaliações de desempenho e reconhecimento dos seus colaboradores.

O sucesso das pesquisas de desligamento é medido pela capacidade que elas possuem de promover planos de ação que irão melhorar a experiência dos colaboradores e, consequentemente, aumentar os níveis e engajamento e satisfação. No final do dia as empresas precisam reter seu melhores talentos. Portanto, entender o que funciona e o que não funciona é um passo primordial rumo à construção de experiências relevantes para os colaboradores. A pesquisa de desligamento é uma ótima ferramenta para isso, ao mesmo tempo que reforça para o colaborador que a sua opinião importa.

Caso tenha gostado deste artigo sinta-se à vontade para compartilhá-lo nas redes sociais!

Leia também:

Foto de capa: Mantas Hesthaven on Unsplash

Comments are closed.
Mobile Analytics